quinta-feira, 13 de maio de 2010

Público VS Privado


Uma das questões que sempre me atormentou, é o estado do Ensino Público no nosso país...
Correndo o risco de levantar uma grande polémica, assumo a minha posição:
o Martim frequentará o ensino Privado sempre e enquanto me for possível.
Bom e Mau há em todo o lado (como diz o senso comum), mas na prática há aspectos relevantes que se prendem com segurança, acompanhamento, entre outros, que os distinguem assumidamente.
Um dos aspectos positivos de se lidar com o Público é conhecer imensa gente.
De todos os extractos socias, de todas as etnias, crenças e por aí fora ,nas características que nos distinguem.
Conheci a directora pedagógica de um colégio que me encheu as medidas (e ela é um amor!)!
Tem tudo aquilo que podemos procurar num Estabelecimento de Ensino (para mim, obviously!).
A partir dos 3 anos, é para lá que o Martim (eventualmente) irá.

Objectivos Específicos do Jardim de Infância

Área de formação pessoal e social:
• Promover a integração e a adaptação da criança ao Colégio,
através da criação de laços afectivos (criança/criança;
criança/adulto; criança/Jardim de Infância)
• Desenvolver algumas regras e valores de relacionamento
inter-pessoal, socialização da criança
• Promover a estruturação corporal:
• Estimular a descoberta do corpo e organização de si próprio
(exploração do corpo e coordenação de movimentos)

Área de expressão e comunicação/ linguagem:
• Desenvolver competências ao nível da comunicação:
- articulação de palavras;
- vocabulário;
- associação de ideias;
- memorização de factos simples, situados no tempo
passado, presente e futuro
- assimilação e compreensão das noções de tempo, agora/
ontem/amanhã;
• Promover o desenvolvimento
• Fomentar e incentivar a comunicação nas duas línguas:
- Português/Inglês

Área de expressão e comunicação/ matemática:
• Desenvolver as capacidades de concentração, atenção e memória
. Promover a estruturação espácio temporal
- observação/manipulação, transformação/classificação de objectos e materiais em termos de vários atributos

Área de expressão e comunicação/ artística:
• Explorar os sentidos e as suas funções desenvolvendo:
- memória visual e auditiva;
- percepção táctil e gustativa;
• Promover o desenvolvimento das capacidades de imaginação e criação nas suas variadas formas
• Possibilitar o contacto com diferentes materiais e sua experimentação
• Desenvolver a necessidade pessoal de expressão

Área de conhecimento do mundo:
• Fomentar e incentivar a curiosidade e o desejo de saber
• Conhecer, identificar e respeitar o meio que nos rodeia
• Promover o desenvolvimento de espírito crítico e científico
• Fomentar a educação ambiental

12 comentários:

*Estrelinha Piglet* disse...

Mesmo sem me ter debroçado nesse assunto (pois ainda não tenho filhos), concordo perfeitamente contigo!!!
Eu sempre andei no publico e não "morri" por isso... Mas apesar de existir bom e mau em todo o lado, o privado tem sempre mais vantagens (em minha opinião) são muito mais as actividades, é melhor o acompanhamento (vou sofrer reprsálias por isto ;)
eu digo isto porque conheço dois irmãos que um andou no publico e outro no privada, e não tem nada a ver...
Claro que tem de se escolher o bom colégio...
O unico se não... é os balurdios que pedem nos colégios... (mts vezes valores + altos que uma renda de casa :( )

Starfish disse...

Sim, hoje em dia podemos considerar um "Investimento", ter um filho no ensino Privado. ;)

Aline disse...

Olá,
Há uns anos atrás, achava impensável pôr um filho meu num colégio particular, pois assisti de perto, através de alunos que vinham de um colégio particular da zona (e que está mt bem posicionado no ranking nacional), o "estado" em que vinham. O colégio "não dava conta" de alunos com dificuldades de aprendizagem e "convidava-os" então a sair, para não baixar a dita média do colégio.
Depois, fiz parte de uma equipa, durante 8 anos, que geriu 5 escolas públicas(agrupamento) e mudei de opinião. Os meus colegas que me fuzilem, mas hoje, cada vez ponho mais essa hipótese. Não só por causa dos maus professores, pois tb irás encontra-los num colégio particular (e além disso, muitas vezes, são os mesmos dos públicos), mas sim por causa do estado em que as nossas escolas públicas se estão, devido a politicas absurdas, irresponsáveis e instáveis.
Agora, voltei a dar aulas e deparo-me com a tal diversidade de que falas no teu post. E é mt verdade o que dizes sobre esse aspecto positivo, mas há o reverso da medalha. Se eu contabilizasse, todos os dias, o tempo que levo a dar sermões, mandar calar, dizer para trabalharem (pq há quem não queira e os pais estão-se nas tintas para isso), eram muitas horas durante a semana e imagina ao longo do ano.
Mas prepara-te pq nos privados, há tb coisas que não estão à vista, tudo parece mar de rosas. No Pre-Escolar, regra geral, as coisas funcionam mt bem, depois no 1º ciclo, convém seres mt rigorosa na escolha.
Se precisares falar mais sobre isso ou alguma sugestão, já sabes que podes contar comigo.
Beijinhos

Sandra disse...

Eu talvez tenha uma opinião um tanto ou quanto polémica, mas... acho que uma das vantagens de se "ter" dinheiro, com mais ou menos sacríficio, é precisamente poder possibilitar o que de melhor ha em termos de formação (ou pelo menos o melhor que está ao nosso alcance...) No nosso caso, o Martim também andará sempre no privado.....Claro que a interacção é importante, mas ele terá tempo para isso... por ora, e enquanto eu puder... prefiro pagar! E até acho que a margem sul tem boa oferta no que diz respeito a educação/formação.

Starfish disse...

Aline,
Infelizmente hoje em dia é assim. Eu própia estudei muitos anos no Privado e depois no Público, e sei reconhecer as diferenças... Os Educadores temos de ser acima tudo, nós pais, mas no Ensino têm de complementar e estar atentos às lacunas.
O colégio de que falo tem um óptimo Programa Pedagógico, e é até ao 12º ano.
Uma das vantagens , que considero importantissima (e cada vez mais), é que com 3 anos passam a manhã em Português e a tarde em Inglês.
Eu comecei a ter inglês muito cedo (4 anos) e se hoje falo fluentemente a lingua, a isso o devo.
Obrigada pelas dicas e opinião!
*

Starfish disse...

Sandra,
Há pais que optam por colocar os filhos no privado, um pouco para se desresponsabilizarem da sua educação, e de alguma forma se ausentarem daquilo que são as suas responsabilidades.
Nesse sentido não apoio quem o faça.
Mas o que é facto é que cada vez mais nos aperceemos que as escolas Públicas deixaram de ser locais seguros para as nossas crianças, e acho legitimo querermos o melhor para elas. Estamos no nosso direito!
E devia ser um direito que nos assistisse, mas infelizmente não é.
*

Tania e Santi disse...

O Santiago Infelizmente n vai puder frequentar o privado ate ao 4º ano, isto pq n tenho nehum perto de mim nem perto do trabalho do pai,mas tenho a sorte de ao entrar p o jardim de infancia optar por ter perlongamente de ingles e portugues(nem tudo é mau) e no 1º ciclo irá frequentar uma escola que abriu este ano tem um excelente director e os professores adoram o que fazem (uma mais valia aos miudos). mas ao entrar para o 5º ano vai para o privado isso vai... .*

Aline disse...

Mas sabes que, hoje, nos públicos, tb há Inglês, na parte da tarde. São as actividades de enriquecimento curricular (Inglês, Actividade física e Música) além das 5h de componente lectiva.

Anónimo disse...

É um tema complexo.
Na minha opinião, que é de algum conhecimento,existem vários factores a referir:
- Em ambos existem bons e maus professores, o essencial no ensino, no entanto os melhores estão no público.
- Nos privados existe uma aparente boa organização e melhores resultados porque estão lá os melhores alunos. No público também existem bastantes escolas com projectos educativos muito interessantes e qualquer bom aluno com uma família presente terá bons resultados.
- Relativamente à segurança claro que existem escolas públicas em que existem problemas de segurança, mais uma vez devido à população escolar. No privado este problema está mais controlado pelos mesmos motivos.
Concluíndo, tenho algumas posses para ter o meu filho no privado mas claro que ele vai para o público, para uma escola de qualidade.

Estrelinha disse...

É claro que é um tema polémico, no entanto acho que as duas hipóteses têm vantagens e inconvenientes:
- Há bons e maus professores em todo o lado, embora no ensino privado, apesar de levar balúrdios aos pais, escolherem professores com menos experiência e que estão em início de carreira para pagarem menos e terem um maior lucro;
- Projectos educativos existem bons e maus em todo o lado. E essa tarefa de análise do projecto caberá aos pais, antes de inscreverem os filhos em qualquer escola.O problema é que muitas vezes os "lindos projectos educativos" ficam apenas no papel...e isso não acontece apenas nas escolas públicas.
- Os pais têm desconhecimento das ofertas das escolas públicas e não as aproveitam. Nos colégios, como estão a pagar...há que aproveitar tudo!
- A questão do Inglês já nem se põe no ensino público porque faz parte do prolongamento, como já foi referido.
- Qualquer aluno que tenha capacidade, se for bem acompanhado pelos pais terá sucesso tanto no público como no privado.
- A segurança é bastante superior no privado, no entanto a comunicação social pinta de forma muito errada o cenário das escolas públicas...há uma minoria de escolas públicas em que se verifica violência.
- No público os alunos desenvolvem competências que no privado nunca poderiam desenvolver por se restringir apenas a uma classe social.
Tenho posses para colocar a minha filha no privado...mas sem existar vou optar pela escola pública.
beijinho

Starfish disse...

Todos os dias, no regresso a casa, passo por uma escola de 2º ciclo.
Já foram duas, as vezes em que tive de parar o carro ,pelo mesmo motivo.
Um miudo sozinho a ser espancado por um grupinho de 5 ou 6.
Bom e mau , há de facto em todo o lado, mas num colégio privado (bom, porque ser privado não é sinónimo de qualidade) isso não acontece.
São escolhas que temos de fazer... andei no público e no privado, e na minha altura não notei grandes diferenças, mas hoje em dia, infelizmente, não é bem assim (de todo).
Quanto à qualidade dos professores, discordo do que tem sido por aqui dito... Em determinados Colégios, contrariamente ao que se pensa " que só vou professores em inicio de carreira, ou os que não prestam" são seleccionados criteriosamente...

Sandra disse...

ACima de tudo, é importante que os pais entendam que a educação começa em casa...independentemente das condições financeiras dos
pais...Mas depois, obviamente, que pais com diferentes formações, vão criar filhos diferentes também. E também é verdade que não é por ser privado que é bom.Mas concordo com a starfish quando diz que o corpo docente dos privados não é só feito de estagiários e professores inexperientes, pelo menos não é isso que vejo nos colégios aqui da zona...Até acho que muitos estão muito bem representados. Como em tudo, cada caso, e o que é prioridade para uns pais não é para outros, daí a vasta oferta. Para ´mim é essencial a formação bilingue, tal como aconteceu comigo e correu muito bem. E pena tenho eu de não haver aqui perto colégios estrangeiros que era lá que inscreveria o Martim.. Infelizmente só conheço em Lisboa e nãoo quero sujeitar ao stress do trÂnsito....

Acima de tudo, todas nós queremos o melhor para os nossos filhos, até porque eles merecem!!! ;)