segunda-feira, 7 de junho de 2010

Introspecção

Quando um filho nasce a nossa vida muda.
Um dia ,lembro-me de dizer que o meu coração tinha deixado de bater no meu peito,
e fora o dramatismo é isso mesmo.
O nosso quotidiano sofre alterações radicais, bem como a nossa vida social.
Nos últimos tempos tenho notado que tudo aquilo que era para mim normal, deixou de o ser.
O meu telemóvel já não toca a toda a hora, os sms tardios acabaram, bem como alguns convites.
Com o passar do tempo os "amigos" foram desaparecendo ,mas os "verdadeiros" foram ficando.
Deixei de ser a miuda-sempre-pronta-para-a-paródia e passei a ser a miuda-que-tem-um-filho.
Tenho sim senhor(a).
Somos sempre reticentes às mudanças, quer sejam boas ou más... e eu não fui excepção.
Confesso que os primeiros tempos foram de maior apreensão... em jeito de :
 "então agora morri para a vida?!?"
Quase 1 ano depois, posso dizer que foi a melhor coisa que me podia ter acontecido.
Tudo o que o Martim me dá, suprime o (tanto) que fui perdendo.
Se sinto falta de sair do trabalho e pegar-na-mala-e-ir-onde-me-apetecer-jantar-beber-copos-e-espairecer? Sinto.
Se tenho saudades de estar com os meus amigos sem horários e preocupações?Tenho.
Mas tenho um Filho!
Tenho um Amor Incondicional para a vida.
Tenho alguém que me aceita como sou, que me olha nos olhos e sorri, que a primeira coisa que faz ao acordar é procurar-me, que me brinda a cada conquista com uma gargalhada.
Tenho alguém para quem sou o seu "mundo", e que indiscutivelmente é o meu.
Tenho uma tela em branco para pintar, que a cada dia vai ganhando cor.
E isso é tudo.

16 comentários:

*Estrelinha Piglet* disse...

Lindas as tuas palavras querida!!!
Dá que pensar mesmo...
Mesmo sem ser mamã, tenho a certeza que tudo o que dizes é verdade, e também sei que desejo (do tamanho do universo) sentir isso..
bjs grds

Prima Carolina disse...

Pessoalmente, e conheço-te desde sempre!, acho que o Martim te tornou uma pessoa ainda melhor! Beijo Priminha *

Starfish disse...

Estelinha Piglet,
:)
O teu dia também há-de chegar!

Priminha,
Vou só ali buscar um lenço e volto já! :)
Tu és aquela prima-irmã-amiga.
Mas isso tu sabes.


*

Anónimo disse...

Tenho sempre vindo ao blog do MARTIM, mas nunca comentei... ao ler este teu post não pude evitar, pois neste exacto momento sinto exectamente o mesmo que tu e a minha pipoca já tem quase 18 meses... também sinto que "perdi" muita coisa, mas realmente tudo o que a pipoca me proporciona supera tudo...Bjos gandes para vocês.

Inês Aparicio.

Rita Catita disse...

:) Apoio 100%... mas vale tudo a pena pela melhor coisa do mundo... os filhotes!!! E felizmente aproveitámos antes do bebé nascer a boa vida, ehehheh!! ehheeh ***grandes para ti e para teu filhote LINDO :)*

Ana disse...

Creio q não nos devemos anular com a chegada de um filho mas.... ainda hoje escrevi no facebook: Tudo À nossa volta pode ser cinzento, mas o sorriso de um filho anula essa côr.
Sem dúvida q um filho muda a nossa visão global do mundo.
Um bjinho grd

Joana disse...

É mesmo isso...ter um filho(a) é mesmo isso!!! A Madalena tem apenas 5 meses e o meu sentimento é igual!!! Sinto que não perdi nada, ganhei o MUNDO!!!
A Madalena é o melhor do meu Mundo!!!
Felicidades

Mãe Feijoca disse...

ser mãe é mm isso, o afonso já tem quase 27 meses e ainda nao retomei a minha vida social nem a 50%, e acho que nunca mais nada vai ser como era. se tenho saudades? tenho muitas, muitas mm, as vezes até me sinto em baixo porque sinto falta, dos cafes, dos jantares das noitadas, mas depois lembro-me que tenho um filho e o sorriso dele os olhinhos dele a brilhar sao muito mais importantes do que aquilo que deixei de viver nestes dois ultimos anos, e sem duvida que é muito mais importante do que o resto, o que escreves te acho que qualquer mae se enchaixa nas palavras... ser mae é mm isso.
bjs

Aline disse...

É tudo muito verdade. E será que, para ti, essa predisposição tb não mudou? Será que não passaste e ter outros interesses e prioridades? Claro que não morremos e deixámos de fazer o que gostávamos. Mas sempre numa dose mais moderada e com outro sabor.
Adorei o que escreveste.

Sandra disse...

A familiariedade das tuas palavras, trouxeram-me lágrimas aos olhos... É verdade que deixamos de ser nós, no meu caso, deixei muito de ser a Sandra e passei a ser a mãe do MArtim.... E cada vez percebo mais que é com orgulho que me vejo a ser "rebaptizada"..... É tão bom ter alguém que nos aceita a 100% como somos, que nos brinda sempre com sorrisos rasgados....e só lamento não o ter descoberto mais cedo, mas como em todos ospassos da vida importantes, fui sempre a primeira do meu grupo de amigos!!!

Flor de Lótus disse...

Óh rapariga qe me fazes vir as lágrimas aos olhos...bolas que até me arrepiei! Revejo-me nas tuas palavras.

Não há coisa melhor no mundo que ser mãe.

Beijinhos

Isa disse...

Que engraçadom podia ter sido eu a escrever isto. A minha filha está a caminho dos 8 meses. Muitas vezes tenho saudades de ter tempo para mim: poder chegar a casa e descansar, sair sem preocupações nem horários, ir ao cinema com a melhor amiga, acordar tarde (oh, acordar tarde...!!). Sinto falta dessas coisas e também me sabe bem deixá-la uma tarde nas avós enquanto vou passear. No entanto, falta-me sempre algo quando estou longe dela. O sorriso dela compensa tudo o que perdi, é a mais pura das verdades. Ser mãe é uma verdadeira dualidade: é querer ser "livre" de vez em quando mas não estar 100% bem longe dos filhos!

Arwen Heathcliff disse...

Já há muito tempo que sigo este blog. Ainda andava grávida quando o li pela primeira vez e, hoje, a minha filha tem 7 meses. Não resisto, desta vez, a comentar. Estas palavras atingiram-me com a força de um relâmpago. É incrível como as mães de hoje enfrentam todas problemas semelhantes. A somar a isto, fiquei ainda com a carreira um pouco em suspenso. Mas tudo vale a pena pelo sorriso da minha bebé. Às vezes estou mesmo zangada... e ela ri. Aí, esqueço as razões de qualquer fúria. Gostei de saber que há outras pessoas que sentem como eu. E, como diz o meu marido, um dia essas "amigas" também vão ser mães. E, nessa altura, vão perceber!

Beijinhos desta desconhecida que, de repente, se sentiu tão próxima.

Carolina

Starfish disse...

Olá Carolina!
Pagamos um preço elevado,mas somos recompensadas no tanto que eles nos dão!
;)
*

Flor disse...

Olá Boa Tarde,

Costumo ler o Blog do Martim diariamente, tenho uma Madalena com 15 meses.
E como muitas mãmãs, podia ser eu a escrever estas palavras. Revejo-me em cada uma delas. Hoje tenho menos "amigos" e menos vida social, mas tenho um Amor maior, que me vê a mim e ao pai como o Mundo dela.
Não alterava nada disto...
Os meus maiores parabéns pela mãe que me pareces ser...parabéns pelo teu Martim..Vou-vos continuar a ler sempre com muito carinho.
Beijinhos da Alexandra e Madalena

Starfish disse...

Obrigada a todas pela partilha!
É bom saber e sentir, que afinal não sou a única!;)