sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Sim ou sopas?

Ora pois que [possivelmente e ainda no plano hipotético], é chegada a Hora.
Ainda com a decisão final, longe de ser tomada, retomamos a Saga da Procura do Colégio.
Se vai ou não em Setembro, é coisa a decidir até Julho.
Na zona onde residimos a oferta [boa] não é grande.
O que nos confina a 3/4 opções no máximo!
Segundo a Pediatra, O Espaço, O plano educativo e a alimentação são aspectos
a ter em linha de consideração...
Ainda que sempre me tenha dito (a Pediatra) que por ela, as Crianças só vão para
o "Inféctário" aos 3 anos, na última consulta manifestou que talvez fosse útil ir mais cedo,
para o desenvolvimento da linguagem [faz ponto de situação na consulta dos 2 anos].
Mamãs experientes e Técnicas da Área, que me dizem?



14 comentários:

Sandra disse...

A minha experiência é de 7m..... (quase nada) mas cá vai... Sabendo o que sei hoje, se pudesse evitava ao máximo a entrada do Martim no colégio. Não fez, até hoje, um mês inteiro seguido de idas, volta e meia adoece (já para não falar que muita coisa apanha lá, porque nem todos os pais têm o bom senso de resguardar os filhotes quando algo se passa...).Em termos de desenvolvimento, não tenho ponto de comparação, é óbvio que desenvolve, mas quem me diz que se ele estivesse com um familiar também não desenvolvia?... Aliás a parte em que ele é desenvolvido, a motora, até é bem puxado em casa, por isso, não vejo que seja por ai, também sempre comeu muito bem e "de tudo" e isso fomos nós que fizémos, por iss....

Já estive convosco, já presenciei o teu menino do mar a brincar, e muito sinceramente não se nota nada que é menino "criado em casa", sabe partilhar (ainda me lembro que ambos queriam um balão ou uma bola), desenrasca-se bem, anda muito bem,ou seja na parte motora e social, nota-se que é um menino que mesmo não estando na escolinha, tem contacto com crianças o que é excelente.

Na parte da comunicação pois bem... o meu também pouco ou nada diz, e anda na escola, será que diria mais se estivesse em casa?


Infelizmente nunca pude ter hipótese de escolha, mas acredito que é dificil. Sei também que residem na margem sul, embora não saiba a zona, e entendo quando dizes que há poucos bons! Mas tenho a certeza que vão tomar a melhor decisão do mundo!

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Muito sinceramente Tânia na minha opiniao tb o melhor será aos 3 anos...isto pq eles apanham msm de tudo no "infectário"...o meu só foi a 2 meses de fazer 3 anos e ainda n apanhou nada de doenças que andaram por lá, ele ate ter todos os dentes apanhou muita coisa e estava em contacto apenas com uma menina que nunca estava doente, imagino se estivesse no meio de muitos, era o descalabrio...

Quanto á fala ele sempre falou imenso, e eu penso que foi por falar sempre com adultos pq no infantario eles falam mais entre eles, logo mais tracalhada, acho que a fala tem mais haver com eles mesmos do que com o convivio com outros meninos que tb, por sinal, não sabem falar

Ana disse...

Olha, a Clara está no Colégio desde os 5 meses e dá-se muito bem por lá. Todas as educadoras e auxiliares são impecáveis e nota-se que as crianças têm um carinho especial por todas elas.

Em relação às doenças, é normal que uns sejam mais susceptíveis a apanhar uma coisa a mais que outra, mas nada que com cuidado da parte dos pais não se controle.

Em termos de desenvolvimento da linguagem, tenho apenas uma coisa a dizer: tenho um autêntico papagaio em casa. Repete tudo e algumas das palavras na perfeição.

Existe uma terapeuta que todos os dias está com as crianças, ajuda nos problemas respiratórios. Tirando isto tem as actividades que todos têm e que eu acho que são muito importantes.

Ser MÃE - Mudança Radical disse...

A pediatra da minha filha também é apologista da criança ir só para o infantário até aos 3 anos por causa das doenças! Eu sinceramente nunca fui muito apologista disso...Mas mudei um pco a minha opinião quando tive a minha filha...porque não a pus logo num infantário quando comecei a trabalhar, preferi que ficasse com os avós!Mas, na minha opinião, ficar com os avós até aos 3 anos, acho muito tempo...penso que eles também precisam de comunicar com gente do tamanho deles e não sempre só com adultos por isso já decidimos que aos 2 anos irá para infantário!Quanto às doenças,acho que vai de cada criança!A minha sobrinha que está com os avós até aos 3 anos, volta e meia fica doente,outras crianças que conheço que estão nos infantários e passam o ano todo belíssimas,sem uma constipação.E pelo que vejo da minha sobrinha, este último ano, entre os 2 e os 3 anos, não evolui muito, não houve melhorias significativas... Penso que tal como nós gostamos de convivío entre pessoas da mesma idade e interesses, também as crianças querem e precisam!E os infantários proporcionam actividades diferentes e estimulantes próprias para as idades deles!

Mami ( Sónia ) disse...

Eu só mandei a minha aos 3 anos e não me arrependo nada. Até agora tem corrido bem, não apanhou nada de especial.

Maria João disse...

Opiniões controversas em relação a este assunto dado que as crianças são todas diferentes assim como os infantários! A minha filha começou tinha 18 meses e, se soubesse, tinha começado antes. Adora, é muito mais estimulada do que em casa, não posso negar, tem muita interacção com as outras crianças, aprendem "regras" básicas de socialização, etc...mas atenção, isto sou eu que vivo completamente afastada da familia, dos amigos e acho que a minha filha precisava de algo mais que não só os pais!!
Qt a doenças, esteve constipada 1 vez, mas isso é realmente das crianças e do sei sistema imunitário.
Acho os 3 anos uma idade má para entrarem no infantário, pois acho que a sua adaptação é feita com mais dificuldade! Mas, mais uma vez, isto sou eu a falar, pois a Mia desde o 1º dia que lá fica mt feliz.
Experimenta em Setembro e vê a reacção do Martim, a todos os níveis. Só assim podes tirar as tuas conclusões.

Amores Perfeitos disse...

tenho 3 filhos e ambos só foram e vao aos 3 anos.bjs

A tua mamã! disse...

Ora na opinião da minha mana e madrinha do Matias e estando ela a terminar o mestrado em educação basica, quanto mais cedo forem para a creche melhor será a integração e desengane-se quem acha que eles nessas idades não fazem nada. Existem mil e uma actividades que se podem desenvolver com crianças dessas idades e quesão tão engraçadas quando falo em actividades não são trabalhos que a maioria das vezes são feitos pela educadora, por vezes nem se chega a ver o resultado fisico dessas mesmas actividades mas são da máxima importancia para o desenvolvimento da criança!
O que a pediatra diz saõ aspectos da máxima importancia o espaçe em que as crianças estam inseridas, as actividades que para elas estão programadas, o tipo de alimentação e o modo como lhe és "oferecido" é muito importante!
Para mim creches em que se marquem horas para serem visitadas, em que avaliem o comportamento das crianças com bolinhas coloridas como se houvesse um padrão de comportamento que tem que ser seguido e que teem imensos trabalhos feitos para os pais verem sãologo carta fora do baralho. Uma boa altura par visitar um colégio é a hora do almoço!
Provavelmente fui massadora mas ouço isto vezes sem conta!
Beijão

Mamã do Príncipe Pipoca disse...

O meu filhote tem 21 meses e desde os 5 que está numa ama. Se tudo correr bem irá para o infantário com 3 anos. Não noto atraso nenhum no desenvolvimento dele e fala pelos cotovelos, tal como a Tânia também tem muitos adultos a puxarem por ele, mas mais do que isso acho que cada criança tem as suas características de desenvolvimento, não parece que nestas idades o infantário seja uma mais valia nesse aspecto.

Aline disse...

A minha experiência como mãe(muito satisfeita) e profissional na área diz que o staf é determinante também. Podes escolher um bom colégio e ter o "azar" de ter uma péssima educadora com quem ele não crie empatia ou motivação. As "boas" e as "más" educadoras são sempre conhecidas. Tenta sondar. Quanto à alimentação, tenta saber se têm ementas feitas por algum nutricionista. Hoje em dia, têm quase todos. Quanto às instalações, coração de mãe não se engana. Pede para ver tudo, não te acanhes. Se eles oferecerem resistência ou má vontade, é mau sinal.
Outra sugestão, é que o colégio tenha continuidade para o 1º ciclo, se é tua vontade que ele continue no privado. Isso é fundamental. Infelizmente, a creche do Martim só vai até aos 3 anos e já estou desesperada, pois encontrar um que me encha as medidas não é fácil. Sonda bastante e boa sorte.
Beijinhos

Natalia disse...

Olá, a minha filha mais velha só foi p a escola aos 3 anos, esteve sp numa ama. Não acho k tenha ficado prejudicada. Estava atrasada na fala mas era preguiça, pois comunicava por gestos e eu entendia.
Agora a mais nova (idade do Martim) tb está na ama. Desenvolvimento motor está optima, atrasada na fala mesmo tendo a mana em casa. Mas n me preocupo, pois ela entende td, comunica por gestos e kd chegar a altura logo falará. A mana agora com 4 anos esta uma tagarela.
Acho k o teu coração de mae dirá o k é melhor. Se ele for p a escola provavelmente apanhará alguns bicharocos mas vai ficando imunizado.
Beijinhos

100% Mamã disse...

A minha experiência é de que a fadinha agora com os seus 2 anos e 2 meses de permanência com os avós está bem desenvolvida quer a nível motor quer a nível linguístico e social. Relaciona-se bem com os outros meninos, não é mesmo nada egoísta e adora partilhar e interagir com outras crianças. Tem uma óptima coordenação motora e é muito (até demais para o meu gosto) destemida. E finalmente, fala muiiiiiiiiiiito, já sabe contar até 15, sabe as cores, o "aeiou", já reconhece algumas consoantes e associa aos nomes, faz frases, etc, etc. Isto tudo para dizer que embora fique em casa com os avós, eles estimulam-na muito e é aí que penso estar o importante da questão. Se em casa tiver o estimulo necessário acho que para evitar doenças deveria ir só aos 3 (nós iremos fazer isso).

Elisabete rosa disse...

Tânia... todas as meninas aqui têm razão... ou não... depende do ponto de vista e circunstância.

Passo a dar o meu conselho como mãe de dois filhos, profissional e proprietária de um JI.

É seguro e verdade que possivelmente se o Martim entrar antes dos 3 poderá ficar doente ocasionalmente ou muitas vezes ou... NUNCA!!!! Tudo depende da criança mas também do infantário e, por incrível que pareça, dos pais dos outros meninos (que levam a criança para a escola adoentada). As crianças às vezes aparecem na escola bem dispostas e "saudáveis" pois já lhes deram ben-u-ron e afins e depois ao fim do dia apercebermo-nos que estão doentes (bem que ontem pareciam que estavam a "chocar") e entretanto já deixaram na instituição todos os vírus.

Sobre a fala... também relativo!!!! Ainda é cedo para avaliar a linguagem do Martim! Se bem que aos dois anos ele poderá estar "atrasado" (não gosto muito desta palavra) também poderá evoluir numa questão de meses. Sou mãe de um menino que aos 3 anos ainda não falava e que desde os 2 anos andava no colégio. E só começou a falar aos 4 anos! Assim, cai por terra esta questão. O Martim pode assimilar tudo e quando chegar o dia de despejar o vocabulário ele fa-lo-á.

Assim, pelo teu POST parece-me que já não ponderas a instituição de que me falaste há uns tempos (AINDA BEM UFAAAA!!!) mas na tua zona tens sim algumas coisas boas... posso te dar alguns nomes. E outros nomes que deves eliminar lol

Sobre as visitas... a hora do almoço é sim uma boa hora de visita mas... a mais complicada para nós profissionais... pois os meninos precisam de todas nós a essa hora daí ser complicado receber visitas a essa hora mas... são válidas!!! Se visitares uma instituição, por exemplo, ao meio dia e até gostaste, depois (e antes de uma possível inscrição) ide lá tipo às 10h com a desculpa de outras dúvidas e pedes para ver tudo novamente!

Sim, se te marcarem hora desconfia mas... também a sua lógica. Eu também recebo visitas surpresas e com muito agrado mas por vezes não estou por lá e gostaria de ter estado. Assim, quando me telefonam previamente peço para marcarem hora comigo tipo às 10h se possível de forma a verem o nosso trabalho e as crianças em plena acção.

EM SUMA: Infantário aos 3 anos e num ambiente familiar e sem stress em relação à fala.

Beijinhos à família do mar

Carla disse...

A minha ideia inicial sempre foi levar o Miguel para o infantário só com um ano. Mas como nunca tive ninguém que ficasse com ele ou que me podesse ajudar quando eu tinha de fazer alguma coisa, acabou por ir aos 9 meses. Ia só de manhã ou só depois de almoço, dependendo do que eu tivesse, mas era mais só de manhã. O tempo foi passando com o pormenor de a dada altura eu ir buscá-lo e ele estar a dormir, ou depois já estava a lanchar e com o tempo passei a ir buscá-lo ás 16h, até para também eu fazer o meu trabalho e as minhas coisas.
O balanço é optimo. Achoe que o contacto com outras crianças faz com que desenvolvam de outra forma, estar com outras pessoas também é muito bom, e no final o tempo que passo com ele é tempo de muito mais qualidade pois já fiz as minhas coisas, organizei a minha vida e estou descansada sem stress disto ou aquilo para fazer!!!
Isto é a minha opinião cçaro.
Acho que a decisão cabe unica e exclusivamente aos pais, até os pediatras têm opiniões diferentes sobre o assunto, há pediatras que dizem que até é melhor eles irem logo aos 4 ou 5 meses!!! Por isso acho que ninguém melhor para decidir que os pais!
Beijinhos