terça-feira, 3 de maio de 2011

Castigos!!! (apelo à navegação!)

A própósito das repreensões, e dos castigos...
É possível partilharem aqui com a mãe-do-Mar(tim),
como procedem?
Birras,etc...
Há várias correntes e várias teorias, sobre as formas correctas de educar ,nesta área.
A minha questão é: idealismos à parte, o que funciona com os vossos filhos?

7 comentários:

Sandra disse...

A propósito deste tema, vou assistir a um workshop no sábado que é se insere na temática de um outro que fui tinha o Martim uns 5meses e que adorei.

"Como Educar Crianças Responsáveis e Positivas"
E se no primeiro falámos muito da história dos castigos, neste será “Amo-te mas a resposta é não!”

Aquilo que faço em casa é o que também lá aprendi ( e com outra familiar que leva vantagem nos filhos), utilizo a técnica do Time Out, deixo-o num cantinho, que pode bem ser no meio dos brinquedos a pensar, uns 2 minutos, sem lhe ligar, sem lhe falar.. Mais tarde sou eu que o tiro do time out, e vou explicar-lhe o que se passou (algo há-de reter...). Depois ensinaram mais técnicas aperfeiçoadas a usar á medida que vão crescendo. Se quiseres saber mais, manda-me um mail, até pode interessar-te vir assistir.

Mami ( Sónia ) disse...

Às vezes tiro-lhe algo que ela gosta, tipo um boneco, ou desligo os desenhos animados e explico o porque, pouco tempo depois devolvo se ela se portar bem. Normalmente resulta bem, chora e tudo mas não volta a repetir a asneira, às vezes dou-lhe uma palmadita no rabito que também resulta, nada com força claro, só para ela saber que tem de ser portar bem, felizmente é raro ter de fazer isso.

abspinola disse...

Gostei deste Post.
Eu ando num barco de uma criança de 3 anos, activa, super mexido, teimoso.
Desde 1 ano que andamos sempre a ensinar o NÃO.
Birras ja as fez e muitas mamas, meus deus, a pior foi no Supermercado ate direito teve ao chão, mas o que fizemos foi ignorar e virar a esquida e veio logo a correr até nos, e peguei nele e fui me embora com ele para o estacionamento e ficou nesse dia de castigo sem brinquedos e sem TV.
NUNCA mais fez birras no super.
O problema maior é a questão de cumprimentar alguem, o meu filho nao dá beijinhos e para a familia é complicado lidar, ou é porque é mal educado, tem mau feitio, ou fazem comparações, e esta a ser dificil explicar e dizer que tens que cumprimentar as pessoas. Essa é a parte mais dificil que estou a viver.

De resto faço as vossas palavras, utilizo muito a part ignorar, deixa chorar e quando acabar passo lhe a explicar, ou então nao ha desenhos, nem brinquedos e fica no quarto de castigo.

Mas nao é facil... bjs

Ana Carvalho disse...

Estou a passar pelo mesmo. Chora e faz birra cada vez que lhe tiramos alguma coisa da mão ou não quer fazer alguma coisa que eu lhe peça.
Por vezes leva uma palmada na fralda, por vezes vai para o castigo (sentada no sofá ou no quarto), mas só sai de lá quando eu mando. Por vezes resulta e não faz mais, apesar de me provocar e me por à prova. Preciso de algumas luzes também porque é esta a altura dela me testar e ver até que ponto é que sou tolerante com ela.

Mãe Feijoca disse...

um tema que dá para mt conversa!
já utilizei vários metodos!
uns resultaram outros nem por isso!
o ultimo foi um verdaeeiro erro e mudei drasticamente.
decidi que o Afonso vvai ter que perceber uma coisa, um sou a mãe ele é o filho, sou a melhor amiga dele mas quando eu disser não é mesmo não. chore, grite, deite-se no chão faça o que fizer, a ultima palavra é minha.
andavamos numa de "se te portares bem, se fizeres isto ou aquilo a mae da uma prenda", ele fazia tudo até ter a prenda. sem duvida a pior coisa que fiz chantagem.
um dia cansei-me e decidi a bem ele vai ter que perceber que não leva a dele em frente quando um digo que não.
e sem duvida tem funcinado, eu digo nao, e ele chora mas depois passa. e vai ser assim.
não há cá historias de lobo mau, nem nada do genero.
e quando passa mesmo das marcas que me faz ter os piores pensamentos do mundo, coloco-o de castigo num canto sem brinquedos e só sei quando eu disser! se tentar sair sem eu dar autorização ainda la fica mais tempo.
atenção que nao o ponho num quarto escuro. por norma fica no sofa sem brinquedos e sem tv.
ainda no sabado fomos jantar fora e ele fazia tudo o que a prima fazia, melhor dizendo so asneiras. até que me passei e disse-lhe que nao saia mais da mesa e que o talher eram para comer nao para brincar, nao foi facil mas ele percebeu e acabou o jantar mt tranquilo.

Alma de Anjo disse...

Acho que não existem soluções perfeitas, se existissem não havia birras... felizmente o David nunca foi de fazer muitas birras, mas também teve algumas....o meu método foi sempre o mesmo, ignorar...explicava que "não" e afastava-me uns passos (tipo não quero estar perto de ti porque não gosto da maneira como te estás a portar), contar até 100, (ás vezes até 1000 ih ih)... e depois da contagem voltar a explicar que "não"....por vezes orbigava a nova contagem...depois perguntava "já podemos ir embora?" e ele acabava por se ir, mesmo que a choramingar, e eu voltava a explicar agora com ele mais calmo que quando se diz que "não" é não", e deixava-o sem mimos e sem grande conversa (tortura para ele, pior uqe tirar qualquer brinquedo) durante uns largos minutos (para ele perceber que eu fiquei aborrecida e que cada vez que se portar mal vai ser assim), é o "tempo de reflexão" que ainda hoje utilizo...Mas se na altura custa... claro que custa, especialmente quando tens aquelas caras a olhar para ti do genero "coitadinha da criança", mas é por isso que existe tanta gente mal educada no mundo... nunca dei palmadas, nunca fiz a cena do "a mãe vai embora ficas aí sozinho" porque acho de uma violencia maior que a palmada...somos mães, e os nossos filhos têm de saber e sentir que vamos estar sempre lá, nos bons momentos e mesmo quando não se portam bem... ser mãe é ter disponibilidade.
Quando ficou mais velhinho (com uns 4 anos) entramos na fase da pré negociação... "vamos ao supermercado(ou outro sitio qualquer) e a mãe compra UMA coisa, só uma" (depois entrou o valor, "compra uma coisa até valor xx"). quando chegavamos lá ele escolhia, se depois visse outra coisa que lhe agradava mais... podia trocar, mas nunca levar as 2 (mesmo que eu achasse muita piada, nunca levei as 2 coisas, porque eles têm de aprender a fazer escolhas e se eu disse que era só uma, tinha mesmo de ser só uma)... sempre resultou. Se cedes uma vez, eles vão tentar a sorte mais vezes...
E quem acha que são muito pequenos para perceber, eu discordo, eles percebem o que é o "Não" e percebem o que é "Só um". Quantas vezes não os apanhamos a testar os limites, e a fazer algo que sabem que não podem a olhar por cima do ombro... eles sabem o que devem fazer e sabem o que não se faz... Mas acredito que depende do temperamento da criança.. e ninguem melhor do que tu sabe o que vai funcionar melhor com o teu menino do mar.

100% Mamã disse...

Com a minha para já só resulta o castigo no quarto, luz acesa e com acesso a brinquedos, s´´o sai quando eu ou quem a pôs de castigo autoriza. É a pior coisa que lhe podem fazer e passados uns segundos está logo a pedir "fulpa", mas só sai quando achamos que está no ponto porque eles apanham logo a "manha" do desculpa. Palmadas e afins connosco para já não têm qualquer efeito